O que é Bullying?

O bullying é um problema mundial, sendo encontrado em qualquer lugar, não estando restrito a nenhum tipo de instituição: primária ou secundária, pública ou privada, rural ou urbana. Pode-se afirmar que há escolas que não admitem a ocorrência de bullying entre seus alunos, ou desconhecem o problema, ou se negam a enfrentá-lo. O termo BULLYING compreende todas as formas de atitudes agressivas, intencionais e repetidas, que ocorrem sem motivação evidente, adotadas por uma ou mais pessoas contra outra(s), causando dor e angústia, e executadas dentro de uma relação desigual de poder. Portanto, os atos repetidos entre iguais e o desequilíbrio de poder são as características essenciais, que tornam possível a intimidação da vítima. Por não existir uma palavra na língua portuguesa capaz de expressar todas as situações de BULLYING possíveis, o quadro, a seguir, relaciona algumas ações que podem estar presentes:-Insultar a vítima; acusar sistematicamente a vítima de não servir para nada. Ataques físicos repetidos contra uma pessoa sejam contra o corpo dela ou propriedade. Interferir com a propriedade pessoal de uma pessoa, livros ou material escolar, roupas, etc., danificando-os. Espalhar rumores negativos sobre a vítima. Depreciar a vítima sem qualquer motivo. Fazer com que a vítima faça o que ela não quer, ameaçando a vítima para seguir as ordens. Colocar a vítima em situação problemática com alguém (geralmente, uma autoridade), ou conseguir uma ação indisciplinar contra a vítima, por algo que ela não cometeu ou que foi exagerado pelo bullying. Fazer comentários depreciativos sobre a família de uma pessoa (particularmente a mãe), sobre o local de moradia de alguém, aparência pessoal, orientação sexual, religião, etnia, nível de renda, nacionalidade ou qualquer outra inferioridade depreendida da qual o bully tenha tomado ciência. Isolamento social da vítima. Usar as tecnologias de informação para praticar o cyberbullying (criar páginas falsas sobre a vítima em sites de relacionamento, de publicação de fotos etc.). Chantagem. Expressões ameaçadoras. Grafitagem depreciativa. Usar de sarcasmo evidente para se passar por amigo (para alguém de fora) enquanto assegura o controle e a posição em relação à vítima (isto ocorre com freqüência logo após o bullying avaliar que a pessoa é uma "vítima perfeita").

De que maneira os alunos se envolvem com o Bullying?

Seja qual for à atuação de cada aluno, algumas características podem ser destacadas, como relacionadas aos papeis que venham a representar: alvos de Bullying - são os alunos que só sofrem bullying alvos/autores de Bullying - são os alunos que ora sofrem, ora praticam bullying autores de Bullying - são os alunos que só praticam BULLYING; - testemunhas de Bullying - são os alunos que não sofrem nem praticam Bullying, mas convivem em um ambiente onde isso ocorre. Os autores são, comumente, indivíduos que têm pouca empatia. Freqüentemente, pertencem a famílias desestruturadas, nas quais há pouco relacionamento afetivo entre seus membros. Seus pais exercem uma supervisão pobre sobre eles, toleram e oferece como modelo para solucionar conflitos o comportamento agressivo ou explosivo. Admite-se que os que praticam o BULLYING têm grande probabilidade de se tornarem adultos com comportamentos anti-sociais e/ou violentos, podendo vir a adotar, inclusive, atitudes delinqüentes ou criminosas.

E o bully envolve muita gente?

A pesquisa mais extensa sobre BULLYING, realizada na Grã Bretanha, registra que 37% dos alunos do primeiro grau e 10% do segundo grau admitem ter sofrido BULLYING, pelo menos, uma vez por semana. O levantamento realizado pela ABRAPIA, em 2002, envolvendo 5875 estudantes de 5a a 8a séries, de onze escolas localizadas no município do Rio de Janeiro, revelou que 40,5% desses alunos admitiram ter estado diretamente envolvidos em atos de Bullying, naquele ano, sendo 16,9% alvos, 10,9% alvos/autores e 12,7% autores de Bullying. Os meninos, com uma freqüência muito maior, estão mais envolvidos com o Bullying, tanto como autores quanto como alvos. Já entre as meninas, embora com menor freqüência, o BULLYING também ocorre e se caracteriza, principalmente, como prática de exclusão ou difamação.

Como se caracteriza uma vítima de bullying?

São, geralmente, pouco sociáveis. Um forte sentimento de insegurança os impede de solicitar ajuda. São pessoas sem esperança quanto às possibilidades de se adequarem ao grupo. A baixa auto-estima é agravada por intervenções críticas ou pela indiferença dos adultos sobre seu sofrimento. Alguns crêem serem merecedores do que lhes é imposto. Têm poucos amigos, são passivos, quietos e não reagem efetivamente aos atos de agressividade sofridos. Muitos passam a ter baixo desempenho escolar, resistem ou recusam-se a ir para a escola, chegando a simular doenças. Trocam de colégio com freqüência, ou abandonamos estudos. Há jovens que estrema depressão acabam tentando ou cometendo o suicídio. Alguns reagem negativamente diante da violação de seu direito a aprender em um ambiente seguro, solidário e sem temores. Tudo isso pode influenciar negativamente sobre sua capacidade de progredir academicamente e socialmente.

terça-feira, 5 de agosto de 2008

Uma criança que sofre de bullying


Pessoas sofrendo com o bullying,atitude que para a maioria é considerada como covardia e anti-ética.

2 comentários:

Anônimo disse...

Este blog ainda está incompleto, precisaria conter possíveis punições para praticantes de Bullying, caso existam.
Um beijo, Profª Julia.

Anônimo disse...

A opinião dos componentes do grupo neste blog sobre o Bullying também é importante. Profª Julia.

Ocorreu um erro neste gadget